Medicamentos emagrecedores e outras soluções para emagrecer rapidamente

Antes de falar de medicamentos para emagrecer, aconselhamos primeiramente a esquecer as “dietas milagrosas”, que têm como única vocação fazer você gastar sempre muito dinheiro por resultados completamente invisíveis.

Para emagrecer de forma eficaz (e durável), é necessário de qualquer maneira fazer alterações em sua alimentação e praticar exercícios físicos regulares (correr muitas vezes é a alternativa preferencial, com razão!) durante um período relativamente longo.

No entanto, veremos aqui que é possível acelerar o processo para emagrecer mais rápido. É especialmente a vocação dos queimadores de gordura, mas somente sua utilização não será suficiente para que você perca quilos de maneira significativa e principalmente, sustentável!

Adeus às « dietas milagrosas » e bem-vindos à nutrição equilibrada

As dietas milagrosas são a dádiva de revistas femininas ou masculinas e de programas emagrecedores de certas marcas que oferecem ainda mais “novas” maneiras de emagrecer rapidamente (e às vezes até mesmo emagrecer sem fazer dieta), sem levar em consideração a história orgânica e psicológica da pessoa, porém, estas são variáveis essenciais na escolha de um plano adequado.

Se você começar uma dieta, recomendamos que primeiro marque uma consulta com um médico nutricionista ou um dietista, que demandará perguntas para determinar seu perfil e a dieta nutricional melhor adaptada, de modo que permita um emagrecimento duradouro sem diminuir o prazer de comer.

Ele estará também à sua escuta e você se beneficiará de um acompanhamento, aspecto importante de uma dieta. Enfim, ele será capaz de proporcionar uma educação alimentar, informando a importância da nutrição e de mecanismos metabólicos que fazem você perder ou ganhar peso.

No entanto, pessoas obesas terão ainda mais dificuldade para perder peso por uma dieta alimentar em razão do forte excesso de peso. Algumas pessoas terão ainda menos chances de perder peso por uma dieta emagrecedora clássica.

Uma pessoa com sobrepeso pode facilmente e mais rapidamente perder peso, mas uma pessoa obesa terá que redobrar o esforço e a paciência. Isto é devido à transformação metabólica que ocorreu quando as células adiposas se multiplicaram e apelaram para novas células para absorver a gordura. Durante uma perda de peso de uma pessoa obesa, o tamanho das células diminui, mas não seu número; com isso, as perdas de peso se tornam mais difíceis ou até mesmo insignificantes.

Este fenômeno explica igualmente o ganho mais rápido e mais importante de peso perdido, se a dieta não teve uma continuidade. Um outro aspecto do tecido adiposo que reforça a dificuldade de perda de peso nas pessoas obesas, é o afastamento de algumas dessas células devido ao seu número. Algumas encontram-se longe do fluxo sanguíneo e, com isso, o organismo não irá recorrer aos seus recursos energéticos em seus estoques dormentes ou esquecidos em razão de seu afastamento, sem contar que o tecido adiposo, sendo uma reação inflamatória, impede que a troca entre as células e o sangue se desenvolva facilmente.

As dietas milagrosas entram na categoria de dietas que não proporcionam uma perda de peso duradoura e são ainda menos considerados como medicamentos para emagrecer, pois não levam em consideração estes aspectos, e no caso das pessoas obesas, as dietas e atividades esportivas mesmo sendo aumentadas em frequência não serão suficientes para perda de peso.

Outro problema relacionado às pessoas obesas é a predisposição genética à obesidade.

Este fator de obesidade torna quase impossível a perda de peso através de dieta, porque se presume que o indivíduo já nasce com um peso predeterminado.

Este peso geneticamente determinado não pode ser verificado e permanece no âmbito da hipótese, no entanto, o que é comprovado é a dificuldade ou a incapacidade constatada por algumas pessoas obesas de perder peso, mesmo em um quadro de dieta emagrecedora.

Para essas pessoas que se encontram face à uma obesidade quase irremediável, assim como os outros indivíduos obesos ou com sobrepeso que desejam perder peso mais rápido, existem outra soluções.

Medicamentos para emagrecer

Como já vimos, independentemente do seu tratamento, uma alimentação saudável, equilibrada e de baixas calorias deve ser respeitada. Mas para que esta dieta seja ainda mais eficaz, pode ser interessante associá-la a um tratamento para perda de peso mais rápido e fácil. A este respeito, Existem poucos emagrecedores de qualidade no mercado que absorvem a gordura diretamente presente no intestino.

É por isso que para este artigo sobre medicamentos para emagrecer, iremos nos concentrar nos dois tratamentos mais reconhecidos como sendo os mais eficazes: o Xenical e o lipossolúvel Phen375.

Os resultados dos estudos apontam uma perda de peso entre 5% e 10% em poucas semanas somente após o início da ingestão destes medicamentos para emagrecer.

Um outro tratamento que produz o mesmo efeito, o Orlistat, provoca uma redução em razão da absorção de gorduras pelo organismo, de até 30%. Estes tratamentos agem como inibidores, isto que quer dizer que suas substâncias ativas irão impedir que as gorduras sejam assimiladas pelas enzimas do intestino, se fixando na gorduras.

Estas gorduras irão então diretamente para as fezes sem ser sintetizadas pelo organismo. Portanto, é importante continuar uma dieta de baixas calorias para fazer um tratamento eficaz: continuar uma dieta com alimentos não saudáveis só terá efeitos negativos pois estes tratamentos não são pílulas mágicas. No entanto, quando associamos estes medicamentos para perder peso com uma dieta saudável, os resultados são impressionantes.

Estes tratamentos que facilitam e aceleram a perda de peso necessitam de um parecer médico, mas somente um médico poderá aconselhá-lo precisamente sobre o tratamento que se adapta melhor ao seu caso (nível de obesidade, organismo, estado psicológico).

Outros medicamentos para emagrecer (como à base de Garcinia Cambogia, uma fruta tropical que faz parte integrante da cultura culinária asiática) agem como emagrecedores graças a certos ácidos no centro de sua composição! É uma excelente solução de recursos para reduzir as porções da alimentação diária, desde que não se tenha que sofrer (não se deve buscar eliminar o prazer de comer)!

Perder peso rapidamente através de cirurgia

Cirurgias de obesidade ou bariátricas são cirurgias que têm o objetivo de reduzir a quantidade de alimentos absorvidos pelo intestino e através de várias técnicas.

É preferível experimentar métodos e medicamentos existentes para emagrecer, antes de considerar uma operação cirúrgica.

Reduzindo a quantidade de alimentos, se reduz de fato o aporte calórico. Para atingir este resultado, a ação é feita principalmente no topo da cadeia gástrica, no nível do estômago, isso irá permitir que a pessoa sinta uma sensação de saciedade mais rapidamente, após somente alguns alimentos digeridos. Se estima então que pessoas reduzem suas porções alimentares no mínimo entre 40% e 50%.

Anel gástrico: Esta técnica consiste em posicionar um anel ao redor da parte superior do estômago, justamente na saída do esôfago, para reduzir a capacidade do estômago. Este anel age em seguida como uma ampulheta que deixa passar lentamente pequenas quantidades de alimento. Esta lentidão faz com que os alimentos permaneçam mais tempo no estômago; resultado, depois de algumas garfadas, o estômago estará cheio e enviará um sinal de saciedade para o cérebro, que induz a pessoa a parar de comer.

Esta operação é reversível mas ela registra maiores complicações pós-operatórias que a cirurgia de sleeve por exemplo, e é menos eficaz que esta. As complicações são o risco de infecções, assim como embolia pulmonar e hemorragia.

Cirurgia de Sleeve: é a cirurgia de obesidade mais comum e mais praticada hoje em dia. Seu princípio é reduzir o volume do estômago, dando-lhe o tamanho de um tubo e a forma de uma manga (sleeve em inglês), que limita severamente a capacidade de ingestão de alimentos. É uma técnica irreversível, pois o estômago é cortado em dois terços, mas muito eficaz, pois a quantidade de alimento ingerido é extremamente reduzido.

O bypass gástrico age como um curto-circuito no estômago. Seu princípio é duplo: se trata primeiramente de reduzir o volume do estômago como em cirurgias restritivas apresentadas acima, retirando dois terços da sua capacidade. Por outro lado, esta técnica destina-se a modificar o circuito convencional de alimentos, para criar uma má absorção destes: a grande parte de alimentos ingeridos irá diretamente para o intestino delgado sem passar pelo estômago.

Ainda lá, se reduz a ingestão e absorção de alimentos. Evidentemente a pessoa deve se alimentar, mas somente em uma quantidade mínima de alimentos que passam pelo estômago para o intestino delgado. As complicações são a formação de um abcesso. No entanto, é muito eficaz pois associa vários efeitos: além da diminuição da quantidade de alimentos, o bypass gástrico cria uma síndrome de dumping que força as pessoas a ingerir açúcar em pequenas quantidades sob o risco de ter um mal-estar. Isso provoca também uma redução significativa da grelina, hormônio da fome que estimula o apetite.

As cirurgias de obesidade são uma solução de último recurso, que apresentam mais sucesso em pessoas obesas que perderam toda a motivação e a crença nos tratamentos, dietas ou medicamentos para emagrecer que não se adaptam ao seu organismo (principalmente as dietas milagrosas), ou que se veem incapazes de perder peso apesar de seus esforços repetidos e constantes.

Essas cirurgias dizem respeito exclusivamente às pessoas que sofrem de uma obesidade mórbida, pois são cirurgias difíceis, que podem provocar numerosos efeitos colaterais e riscos para a saúde.

De fato, estas cirurgias devem ser levadas a sério e não são operações que irão remover instantaneamente os quilos extras sem a necessidade de esforço por parte do candidato à cirurgia. Bem pelo contrário, todo o trabalho deve ser feito uma vez que a cirurgia seja efetuada: novos hábitos alimentares dietéticos ou restritivos com a proibição de alguns alimentos, adoção de um outro ritmo alimentar..

Existem então, vantagens e desvantagens a avaliar de acordo com a motivação da pessoa, que não terá outra escolha a não ser mudar radicalmente seus hábitos de vida e alimentares, uma vez operada. Algumas são irreversíveis e outras não, mas mais arriscadas.

Para todas estas cirurgias, os candidatos deverão passar por exames biológicos aprofundados para garantir a sua capacidade em suportar tal tratamento. Análises endócrinas, gástricas são efetuadas, assim como uma bateria de exames psicológicos para conhecer a capacidade de adaptação uma vez o ato realizado, e especialmente para eliminar os problemas de comportamentos alimentares, muito perigosos para as pessoas que tenham passado por uma cirurgia bariátrica.

Além disso, vale a pena salientar que lipoaspiração, não é considerada uma cirurgia para obesidade, nem um tratamento, pois ela não age nas causas que conduzem à obesidade, nem trata o ciclo metabólico ou controla a ingestão de alimentos no organismo. Ela atua somente nas consequências como a gordura em excesso, e permite somente eliminar as gorduras superficiais e não profundas, que são as mais perigosas no contexto de complicações.

É especialmente uma cirurgia para fins estéticos. O perigo deste tipo de prática é fazer as pessoas acreditarem que poderão continuar a absorver uma dieta alimentar de má qualidade e hipercalórica. Ao fazer isso, a retomada de perda de peso perdido e até o ganho de mais peso é garantido.

Ela encontrará sua utilidade nas pessoas obesas que buscam remover gorduras incômodas e inúteis em excesso ou mesmo perigosas, mas não se deve esperar emagrecer após tal prática, pois retirar mais de 10 litros de gordura de uma vez põe em perigo a saúde do paciente. A lipoaspiração também pode ser útil apenas no caso de uma pessoa com sobrepeso, mas ainda não obesa, que é decidida e motivada por uma mudança na conduta alimentar.

De fato, a remoção de gordura em excesso pode auxiliar e facilitar a perda de peso, se a pessoa entra em uma dinâmica de cura emagrecedora ainda mais rigorosa e drástica, acompanhada de esporte e de gastos físicos importantes. Nesses casos, o acompanhamento à base de medicamentos para emagrecer é igualmente aconselhável.

Página revista em: 5 Outubro 2016 por Dr. Ricardo Hernández, Médico por 16 anos