Gripe

Como curar a gripe? sintomas, tratamentos e medicamentos

É a mesma história a cada ano, uma vez o mês de novembro chega, casos de gripe se multiplicam em toda a Europa, e chegam rapidamente a pelo menos, 10% a 15% da população doente no velho continente.

Se a maioria das pessoas não têm praticamente nenhuma dificuldade para se recuperar, não é o caso de pessoas já debilitadas, ou consideradas ” de risco”. Com isso, durante o período de gripe de 2014, o InVS indicou números alarmantes, mais de 90 000 mortes em 13 (de 15) países que participam voluntariamente do acompanhamento deste fenômeno na Europa.

Muitas dessas mortes são devido a uma falta de informação, e uma falta de diligência em fazer o tratamento adequado. Pois, se há uma grande chance de sair de uma gripe sem maiores complicações para a saúde, é principalmente devido a muitos medicamentos eficazes e controlados, que são frequentemente estabelecidos no mercado.

Compreender a gripe, o que é esta doença?

A chamada gripe, é uma doença causada por um vírus (conhecido como Influenza pela área médica) cujo campo de ação ocorre, quase sempre em primeiro lugar, nas capacidades respiratórias do indivíduo. Em seguida, é geralmente a integridade do organismo que é afetada pelos numerosos sintomas da gripe.

Se atualmente ainda é difícil tratar a gripe, é porque o vírus tem por costume mudar a sua forma a cada nova epidemia. Se trata então, de um novo vírus que é criado a cada ano, tornando as vacinas do ano anterior completamente inúteis. Os laboratórios farmacêuticos são então obrigados a adaptarem-se ao novo vírus (e as suas características) logo que ele é identificado.

Uma mesma gripe para vários vírus

Dispondo de uma fase aguda difícil de suportar todos os dias, geralmente nos curamos rapidamente da gripe (médias europeias se situam em torno de 3 a 7 dias para observar todos os sintomas da gripe desaparecerem). É precisamente, durante a fase aguda, que os principais sintomas da gripe aparecem e impedem que o indivíduo doente realize suas atividades. É então necessário descansar ao máximo durante o período em que a febre é mais alta, para evitar eventuais complicações.

Para responder a questão o que é a gripe? É necessário mencionar que existem várias. 3 tipos de vírus diferentes precisamente:

  • O vírus de tipo A: Este é o tipo mais raro da gripe (ele desencadeia, em média, 2-4 pandemias de gripe tipo A por século), mas é também o vírus mais letal. Entre os exemplos tristemente notórios e conhecidos por todos, há a gripe espanhola (20 milhões de pessoas falecidas), a gripe H1N1 ou gripe aviária.
  • As duas têm experimentado taxas muito mais baixas de morte, embora o vírus tipo A seja sempre difícil de tratar por profissionais de saúde, pois tem a característica principal de sofrer mutações muito rapidamente, uma vez que penetra o organismo.
  • O sistema imunológico do indivíduo que o tem, não tem tempo para construir as defesas imunológicas suficientemente sólidas para combater o vírus da gripe de forma eficaz.
  • O vírus do tipo B: É muito mais comum, mas felizmente, é também muito menos grave para o indivíduo doente. No caso de uma gripe do tipo B, o vírus não tem tempo de sofrer uma mutação quando a sua presença é detectada pelo organismo, permitindo ao sistema imunológico reagir em conformidade e erradicar a doença em questão de dias.
  • O vírus do tipo C: Ainda mais comum que o do Tipo B, é ainda menos perigoso do que o anterior. A maioria dos casos não são detectados, mesmo porque os sintomas são muito semelhantes aos causados por um simples resfriado.

Pare com as ideias preconcebidas!

A gripe não é causada por fatores ambientais como o frio.

Sim, é ainda (infelizmente) a ideia que está enraizada no imaginário coletivo, uma vez que remonta ao século XIV e é totalmente falsa! Como prova, estão as regiões de clima quente ao longo do ano todo, pois estas são também afetadas pela gripe a cada ano, simplesmente porque não há gripe sazonal!

Uma parte de verdade neste mito é devido ao fato que no inverno, as pessoas têm tendência a ficar mais tempo no interior de seus domicílios, o que é um fator propício para a propagação do vírus (como ar seco, frequente no inverno, que seca inevitavelmente as mucosas nasais, e ajuda a transmitir o vírus de um indivíduo a outro mais facilmente).

O inverno é então um período propício ao desenvolvimento e ao contágio pelo influenza, mas o frio não é o fator desta propagação! Se você pegar um resfriado, não existe evidência científica que mostre que seu sistema imunológico é menos capaz de lutar contra a gripe (por estar supostamente enfraquecido), ainda que muitos estudos sejam realizados sobre o tema a cada ano.

Quais são os sintomas da gripe?

Os sintomas da gripe têm muitas semelhanças com os sintomas causados por um simples resfriado. No entanto, aqueles que se desenvolvem em razão do vírus da gripe são muito mais “violentos” e necessitam de uma consulta médica rapidamente. Ele irá então, prescrever um tratamento eficaz para combater os sintomas da doença, e você irá observar uma diminuição, e em seguida o desaparecimento destes sintomas, no período entre 24 horas e alguns dias.

Em detalhes, os sintomas de gripe são classificados em 3 etapas (embora a ordem e a intensidade dos diferentes sintomas possam variar, dependendo do organismo do indivíduo).

  1. Calafrios e dores musculares em todo o corpo (sinais de febre alta que não devem ser subestimados, geralmente variando entre 38,5 ° C e 40 ° C). Note no entanto, que adultos com mais de 65 anos, e crianças menores de 5 anos, afetados pelo vírus, tendem a ter uma febre muito menor.
  2. Estes sintomas associados à febre causada pela gripe, podem ser acompanhados de dor de cabeça (cefaleias), dor de garganta, espirros frequentes e, claro, uma grande fadiga, obrigando o paciente a permanecer deitado.
  3. Deterioração do sistema respiratório: uma tosse que se intensifica e torna-se mais seca, coriza e uma sensação dolorosa no peito.
  4. Sintomas “relacionados”, que variam em função do tipo de vírus: por exemplo, sintomas de gastroenterite podem ser o resultado de uma gripe intestinal, frequentemente diagnosticadas em crianças com menos de 10 anos. Também é possível contrair dor nas articulações, uma impossibilidade de dormir adequadamente (sonolência, suores noturnos), ou uma sensação de ardor nos olhos.

A maioria dos sintomas podem ser frutos de uma outra doença, por isso é essencial pedir um conselho médico, que poderá fazer um diagnóstico preciso e detectar (ou não) a presença do vírus influenza no organismo.

Os principais tratamentos para lutar eficazmente contra a gripe.

Não existe tratamento milagroso contra a gripe, pois é uma doença de origem viral. Por exemplo, os antibióticos não têm nenhum efeito no tratamento desta doença. Isso porque, dependendo do organismo do indivíduo, o médico começará a prescrever medicamentos que permitirão aliviar os principais sintomas incômodos da gripe (febre, dores, tosse). Na maioria dos casos, os medicamentos são suficientes para permitir que o indivíduo doente se recupere totalmente da gripe em alguns dias.

Para as pessoas que apresentam sinais de fraqueza, ou sistema imunológico mais frágil, será necessário auxiliar o organismo com a utilização de um antiviral.            

Existem duas famílias antivirais para combater a gripe:

  1. Antiviral clássico: Consiste na injeção de molécula, cuja missão é combater o vírus influenza, diminuindo (depois impedindo) seu desenvolvimento e sua multiplicação no centro do organismo do enfermo. Podem ser utilizados também como prevenção (quando um indivíduo está em risco e foi com certeza exposto ao vírus) e também para alívio (para combater o vírus se a gripe já se instalou).
  2. Entre os antivirais clássicos, os mais conhecidos são amantadina e rimantadina. No entanto, há vários anos, os laboratórios científicos têm constatado uma diminuição significativa na sua eficácia, porque, ao contrário do vírus da gripe está em constante mutação, estes antivirais não evoluíram.
  3. Os novos antivirais chamados “inibidores da neuraminidase”: Esta é, de alguma maneira, a evolução dos antivirais clássicos com adaptações às novas características do vírus. Eles são, portanto, mais eficazes (tanto na prevenção como no alívio) e o mais conhecido destes antivirais tem como princípio ativo o oseltamivir (o nome do medicamento é Tamiflu, encontrar ficha completa clicando aqui).

Alguns remédios caseiros para combater a gripe sem medicação

Para evitar um tratamento farmacêutico (como os antivirais descritos acima), existem muitas formas “caseiras”, que em princípio, permitem uma melhora. Alguns destes “remédios” (assim como seus benefícios), foram comprovados cientificamente, outros se tratam simplesmente de um “remédio da avó” contra a gripe, cujo seus benefícios são propagados de boca a boca ao longo de décadas.

Nesta lista, não detalhamos as evidências: é clara a necessidade de se fazer repouso o máximo possível e beber água regularmente para evitar a desidratação.

Remédios caseiros e naturais a serem utilizados para prevenir a gripe:

  • Ginseng (planta) fortalece o sistema imunológico e reduz o risco de contrair o vírus.
  • Echinacea (planta): Pode também ser eficaz na prevenção contra resfriados.
  • Astrágalo (raiz): Aumenta a resistência do organismo para o tipo de infecções virais.
  • Gengibre: Nota-se que o consumo de gengibre é benéfico na luta contra as infecções se concentrando no sistema respiratório dos indivíduos (tais como a gripe ou o resfriado comum).

Remédios caseiros e naturais a utilizar no alívio dos sintomas da gripe

  • Andrographis (planta): usada durante séculos no tratamento de febre e de infecções respiratórias. Desde então, seus benefícios foram comprovados cientificamente.
  • Echinacea (planta)
  • Oscillococcinum (produto homeopático): estudos científicos estão se esforçando para demonstrar a sua eficácia.
  • Sabugueiro (fruto) tomar como xarope para retardar o desenvolvimento de sintomas de gripe.
  • Sabugueiro preto (flores): Tradicionalmente usado para reduzir a febre.
  • Sabugueiro branco (planta): Eficaz contra reumatismo, dor muscular e alívio da febre.
  • Alimentação (caldo de galinha, eliminar lactose e açúcar durante o período de alto risco de desenvolver o vírus).
  • Acupuntura
  • Preparações naturais chinesas (Xiao Chai Hu Wan / Yin Qiao San / Yu Ping Feng San)

Além disso, é necessário consultar um médico caso a febre não diminua abaixo de 38,5º C por mais de 72 horas, ou caso você sinta uma forte dor no peito (sistema respiratório).

Fontes

Lost Password