O que é o Viagra?

O Viagra da Pfizer é um medicamento que restaura a função erétil em homens com impotência. É o primeiro do gênero que age de maneira seletiva no pênis. Não é um hormônio ou um afrodisíaco.

É um medicamento seguro?

Sim, ele é. O Viagra foi testado em muitos homens durante testes clínicos. A incidência de efeitos colaterais adversos, que obrigaram os pacientes a abandonar o tratamento, foi igual a dos pacientes que tomaram placebo.

Como funciona o comprimido?

O Viagra age no aumento do relaxamento dos músculos do pênis. Quando ocorre uma ereção, os músculos lisos do pênis e das artérias em torno do órgão devem estar relaxadas. Viagra maximiza o relaxamento e aumenta a eficácia da ereção. A enzima na qual o medicamento age é a fosfodiesterase tipo 5 (PDE-5), que situa-se quase que exclusivamente no pênis.

O medicamento provoca o relaxamento de todos os músculos lisos do corpo?

Não. A enzima (PDE-5) é específica do pênis. A reação cruzada mínima é responsável pelos efeitos colaterais.

Quais são os efeitos colaterais do Viagra?

Leve dor de cabeça, rubores, indigestão, nariz escorrendo, distúrbios visuais transitórios (névoa azul).

O Viagra pode afetar minha acuidade visual?

Não, isso tem sido extensivamente testado.

O Viagra afeta minha visão noturna ao dirigir?

Não, isto também foi extensivamente testado.

Existem efeitos colaterais graves?

Não. A incidência de efeitos cardiovasculares secundários graves em mais de 4500 homens avaliados foi a mesma tanto no grupo de placebo quanto no grupo sob tratamento; menos de 2%. Não houve nenhum falecimento durante os estudos.

Este medicamento provoca ereção permanente (priapismo)?

Não. Durante os testes clínicos, não houve episódios de priapismo. O Viagra não provoca ereção sem estimulação sexual, ao contrário das injeções no pênis ou da terapia intrauretral. Seu mecanismo de ação é totalmente diferente.

Há alguma contraindicação?

Sim. A única contraindicação é a ingestão de nitratos (nitroglicerina sublingual, nitratos de ação prolongada, pasta de nitrato). Vários pacientes perderam a consciência ao tomar nitratos e Viagra em conjunto, em razão da queda na pressão arterial. Nenhum paciente sofreu graves consequências após o desmaio. Se você faz uso de nitratos, consulte seu médico ou um cardiologista antes de considerar tomar este medicamento.

Quais são as interações com outros medicamentos?

Não houve nenhuma interação com outros medicamentos, incluindo medicamentos para diabetes, anticoagulantes, antiácidos, aspirina ou álcool. A ingestão simultânea de Viagra com cimetidina ou eritromicina se traduz em um aumento dos níveis sanguíneos, mas sem nenhuma complicação.

Existe uma idade mínima ou máxima para a ingestão de Viagra?

Viagra foi testado e aprovado como seguro entre os homens com idade até 85 anos. Viagra não foi testado em homens com menos de 18 anos. Não é indicado para faixa etária pediátrica

Como posso tomar Viagra?

O comprimido deve ser tomado de 1 a 2 horas antes das relações sexuais. O pico de taxa sanguínea ocorre dentro de 60 minutos.

Irei obter uma ereção espontânea em 60 minutos?

Não. Mais uma vez, a pílula age paralelamente à uma estimulação natural e sexual.

O que acontece se eu não tenho relações sexuais na hora seguinte?

O efeito benéfico pode ainda ser constatado 8 horas mais tarde. Na maioria das vezes, o efeito se produz nas 4 primeiras horas. Você não terá uma ereção sem estimulação sexual.

Quantas vezes posso tomar Viagra em um dia?

A dose recomendada é uma vez por dia.

Qual dose devo tomar? Existem várias doses?

Um comprimido de Viagra está disponível em 25 mg, 50 mg e 100 mg. Você deve tomar a dose mais baixa para começar. Quanto mais alta for a dose, mais fortes serão os efeitos colaterais. Você sempre pode aumentar ou diminuir sua dose em função da sua resposta ao medicamento. 100 mg é a dose máxima diária.

Eu posso aumentar a dose do tratamento?

Quanto mais alta foi a dose ingerida nos testes clínicos, mais problemáticos foram os efeitos colaterais. Em alguns testes canadenses, uma dose de 200 mg foi administrada sem melhoria da eficácia do tratamento e com mais efeitos colaterais. Viagra foi administrado em doses 8 vezes acima da dose recomendada sem causar problemas de saúde importantes.

O medicamento afeta meu orgasmo?

Não. Como a eficácia do Viagra depende da estimulação sexual, os orgasmos não são afetados.

Devo me preocupar com este tratamento se eu estou esperando um bebê?

Não há nenhuma resposta absoluta para esta pergunta, e a prudência é aconselhada. Esta questão específica não foi estudada em ensaios clínicos. Os laboratórios não constataram o efeito do Viagra na mobilidade dos espermatozoides e nem na fertilidade ou no aumento de malformações congênitas nos animais[2].

O Viagra causa câncer?

Não. Extensos testes em animais não revelaram nenhum sinal de câncer.

O comprimido aumenta minha libido (desejo sexual) ou minha agressividade?

Não. Viagra não tem nenhum efeito na libido. Testes psicológicos intensivos não revelaram comportamento agressivo ou aumento do desejo.

O Viagra funciona para todos os homens?

A eficácia do medicamento depende da causa do problema. Se existe um déficit grave da circulação sanguínea, o medicamento provavelmente não funcionará. No seu conjunto, os estudos mostram que o Viagra é eficaz em mais de 70% dos pacientes. Os homens diabéticos que passaram por cirurgia de próstata ou uma cirurgia radical da bexiga tem uma menor taxa de eficácia.

O que fazer caso o Viagra não funcione?

Viagra não funciona sem excitação sexual. Você pode estar muito cansado ou estar sexualmente excitado de maneira insuficiente. Caso o medicamento não funcione de maneira repetida, recomendamos que consulte um médico para discutir as alternativas ao Viagra.

Ele é reembolsado pelo meu plano ou seguro de saúde?

Algumas seguradoras de saúde podem reembolsar o tratamento para disfunção erétil, mas muitas não o fazem. Verifique com o administrador do seu plano individual.

Viagra pode ser tomado por mulheres?

As autoridades sanitárias não aprovaram o Viagra para mulheres. Sua segurança e eficácia não foram estabelecidas em outro grupo que não seja de homens com idade superior a 18 anos.

Página revista em: 13 Outubro 2016 por Dr. Ricardo Hernández, Médico por 16 anos