Viagra é um tratamento contra a disfunção erétil regular em homens adultos. Foi produzido para casos específicos, e é importante seguir as precauções de utilização para maximizar a eficácia do Viagra e reduzir o risco de efeitos colaterais.

Para aconselhá-lo no uso do seu medicamento, veja aqui algumas informações sobre situações onde a utilização do Viagra é contraindicado.

Lista de casos onde você não deve fazer uso do Viagra.

Alguns medicamentos podem causar efeitos indesejáveis ou perigosos quando utilizados juntamente com o Viagra. Informe o seu médico sobre todos os medicamentos que você utiliza atualmente, em particular se foi prescrito a você o riociguat (Adempas).

Não tome Viagra caso você siga igualmente um tratamento à base de nitrato contra dores no peito ou problemas cardíacos, incluindo a nitroglicerina, o dinitrato de isossorbida, mononitrato de isossorbida e algumas drogas recreativas tais como o «poppers». O fato de tomar Viagra com um medicamento à base de nitrito pode causar uma queda repentina e séria da pressão arterial.

Entre em contato com seu médico e pare de tomar Viagra, caso sua ereção seja dolorosa ou dure mais de 4 horas. Uma ereção prolongada (priapismo) pode danificar o pênis. Além disso, pare o tratamento e solicite assistência médica urgente caso você tenha uma perda repentina de visão.

Peça conselhos ao seu médico caso você sinta um destes sintomas

Para se certificar de que o Viagra é seguro para sua saúde, informe seu médico se um deste problemas se manifestarem:

Doença cardíaca ou problemas do ritmo cardíaco, doença coronariana; crise cardíaca recente (nos últimos 90 dias); uma história recente (últimos 6 meses) de acidente vascular cerebral ou insuficiência cardíaca congestiva; angina do peito (dores no peito), alta ou queda da pressão sanguínea; doença renal ou hepática (ou se você está em diálise); problema como anemia falciforme, mieloma múltiplo, leucemia; problema de sangramento como hemofilia; úlcera do estômago; retinite pigmentosa (doença hereditária do olho); deformação física do pênis (tal como a doença de Peyronie); ou se você já teve recomendação para não ter relações sexuais por razões de saúde.

O Viagra pode diminuir o fluxo sanguíneo para o nervo ótico do olho, causando uma perda repentina de visão. Isso acontece com um pequeno número de pessoas que tomam Viagra ou outros medicamentos semelhantes ao sildenafila. A maioria desses pacientes também tiveram certos problemas oculares preexistentes ou fatores de risco para problemas nos vasos sanguíneos (tais como doenças cardíacas, diabetes, hipertensão arterial, hipercolesterolemia, doença coronariana, hábito de fumar, ou ter mais de 50 anos). Os especialistas ainda não podem confirmar de maneira clara se o Viagra é a causa real de uma perda da visão.

O sildenafila não deve prejudicar o feto. Se você parceira está grávida ou deseja tornar-se, fale com seu médico. Não se sabe se o sildenafila passa para o leite materno ou se ele poderia prejudicar o bebê. Informe também seu médico se você está amamentando um bebê. Em todo caso, saiba que o Viagra é reservado aos homens com mais de 18 anos e ainda não foi desenvolvido para pacientes do sexo feminino.

Precauções a seguir ao tomar Viagra

Consumir álcool com este medicamento pode provocar efeitos colaterais. Portanto, é melhor evitar um comprimido de sildenafila caso você consuma muito álcool.

A toranja e o suco de toranja podem interagir com o sildenafila e conduzir a efeitos colaterais indesejáveis. Evitar o consumo dos produtos à base de toranja paralelamente à ingestão do comprimido de Viagra.

Por fim, evitar a ingestão de outros medicamentos para tratar a impotência, como alprostadil ou ioimbina, sem antes falar com seu médico.

Efeitos colaterais de Viagra

Solicite um auxílio médico de urgência caso você perceba sinais de uma reação alérgica ao Viagra: vermelhidão; dificuldade para respirar; inchaço da face, dos lábios, língua ou garganta.

Pare de tomar Viagra e consulte imediatamente um médico se você apresenta: sintomas de um ataque cardíaco – dor ou pressão torácica, dor na mandíbula ou no ombro, náuseas, transpiração; alterações na visão ou perda repentina de visão; ereção dolorosa que dura mais de 4 horas (uma ereção prolongada pode prejudicar permanentemente o pênis).

Chame seu médico imediatamente caso você apresente: zumbido nos ouvidos, perda súbita de audição; um ritmo cardíaco irregular; inchaço nas mãos, nos tornozelos ou nos pés; falta de ar; convulsões; ou uma sensação de vertigem como se fosse desmaiar.

Os efeitos colaterais comuns do Viagra podem incluir: rubor (calor, vermelhidão, sensação de formigamento); dores de cabeça, tonturas; problemas de visão (visão turva, alterações na percepção das cores); nariz congestionado; dores musculares, dores nas costas; ou dores de estômago.

Por fim, é preferível não fazer uso do Viagra com medicamentos similares como avanafila (Spedra), o tadalafila (Cialis) ou o vardenafila (Levitra). Informe seu médico de todos os outros medicamentos que você utiliza para disfunção erétil.

Informe o seu médico todos os medicamentos atuais nos quais você inicia ou para de tomar, em particular: antibiótico como a claritromicina, a eritromicina, ou telitromicina; medicamento antifúngico como o cetoconazol ou itraconazol; um tratamento para tratar HIV/AIDS, tais como atazanavir, indinavir, ritonavir ou saquinavir; ou medicamentos para tratar hipertensão arterial ou problemas da próstata.

Em todo caso, durante a consulta médica para prescrição do Viagra, indique ao médico uma lista completa de medicamentos que você usa, antecedentes médicos, alergias que você sofre e doenças hereditárias nas quais sofre sua família.

Atenção: Em que casos é preferível não tomar Viagra?.

Página revista em: 13 Outubro 2016 por Dr. Ricardo Hernández, Médico por 16 anos