Como prevenir a impotência sexual?

Alguns hábitos de vida favorecem problemas de ereção

Quando um homem sente uma excitação sexual, um número de hormônios, de músculos, de nervos e vasos sanguíneos se ativam e funcionam em conjunto com outros órgãos para sinalizar a excitação em forma de ereção. Os sinais nervosos enviados do cérebro para o pênis, estimulam os músculos de maneira que se tornem relaxados e elásticos, o que permite o sangue de circular no tecido do pênis. Uma vez que o sangue é distribuído através dos músculos do pênis, uma ereção é obtida. Os vasos sanguíneos disponíveis no músculo são bloqueados o que permite a manutenção de uma boa rigidez. Uma vez passada a excitação sexual ou o ato realizado, as veias do pênis se reabrem e o sangue pode sair do pênis de maneira que o músculo relaxe.

Em algum momento de sua vida, um homem pode encontrar dificuldades em ocasionar ou manter ereções. Os problemas de ereção ocorrem quando um homem não consegue obter uma ereção suficientemente firme para ter relações sexuais. Para a maioria dos homens, o problema ocorre de vez em quando, o que não representa nada grave. No entanto, se você é incapaz de obter uma ereção 1/4 do tempo, existe uma chance que você tenha um problema de saúde que necessite de atenção médica. Para obter informações, a disfunção erétil é igualmente conhecida sob os seguintes termos:

As causas dos distúrbios de ereção nem sempre são claras. Para muitos homens, uma das primeiras preocupações quando sofrem de disfunção erétil é se isto pode ser um dos sintomas de uma doença subjacente. De fato, doenças como diabetes e hipertensão arterial são frequentemente diagnosticadas após um determinado período de tempo e distúrbios na ereção é um dos primeiros sintomas. Portanto, é importante discutir com seu médico, assim que você perceber esses sintomas.

Quando a disfunção erétil é um dos sintomas de uma doença não diagnosticada, a prescrição do tratamento médico e monitoramento de terapias alternativas são duas opções, escolhidas por um grande número de homens. O fato de falar de problemas com sua parceira ou seu médico pode também desempenhar um papel determinante no desaparecimento de problemas de ereção. No entanto, não devemos negligenciar a adoção de certos hábitos de vida, que às vezes são suficientes para corrigir esses problemas.

Nos últimos anos, os medicamentos tais como Viagra ou Cialis, surgiram como uma solução para os homens que desejam lidar eficientemente e rapidamente com seus problemas de ereção. Estes tratamentos têm a capacidade de aumentar a pressão arterial e possuem um efeito mais ou menos imediato. No entanto, alguns estudos científicos mostram que a mudança de alguns hábitos de vida é suficiente para fazer desaparecer os sintomas da disfunção erétil.

E mesmo os homens que decidem seguir um tratamento médico podem decidir melhorar seus hábitos diários, pois eles vão aumentar a eficácia do medicamento e reduzir a dose prescrita. Além disso, adotar bons hábitos permite melhorar o estado de saúde.

Veja aqui seis dicas a seguir na sua vida diariamente e que podem permitir diminuir, ou até mesmo eliminar sua disfunção erétil:

Reduzir o consumo de álcool

Embora o álcool tenha como efeito relaxar certos homens e proporcionar uma maior confiança, ele também desempenha um papel importante nos problemas de ereção. Com isso, um estudo realizado em 2007 e com base na observação de 100 homens dependentes de álcool, revela que 72 deles sofrem problemas de disfunção sexual, incluindo a impotência.

Quais são as razões que permitem explicar que o consumo de álcool pode gerar distúrbios de ereção? Os médicos identificaram três causas. Primeiramente, o álcool pode elevar a pressão arterial e provocar aterosclerose; ou seja, impedir a circulação sanguínea para o pênis e então de ter uma ereção correta. Em segundo lugar, quanto maior é o consumo de álcool, maiores são os estragos causados no sistema nervoso. O que tem como consequência a diminuição da sensibilidade dos receptores do prazer. Por fim, os médicos identificaram que o álcool possui consequências nocivas na produção de testosterona nos homens, pois este hormônios são indispensáveis para a função erétil do indivíduo. Esta última questão foi reconhecida por uma equipe científica em 2002.

Limitando a quantidade de álcool consumida, principalmente antes de uma relação sexual, você diminuirá os problemas de ereção. A OMS recomenda não beber mais que três copos por dia. Além disso, se você consome mais que isso, é fortemente aconselhável esperar 48 horas antes de consumir bebidas alcoólicas novamente.

Parar de fumar

Não é segredo que o consumo de tabaco é uma das principais causas da origem do câncer de pulmão. Além disso, o tabaco também pode causar problemas de disfunção erétil. De fato, assim como o álcool, o tabaco pode interferir nas funções vasculares do organismo e diminuir a circulação sanguínea.

Agentes químicos inalados por intermédio do cigarro incluem especialmente arsênico, alcatrão e monóxido de carbono. Que são também componentes prejudiciais para a saúde. Além disso, esses produtos químicos também podem inibir a função de óxido nítrico no organismo, um componente crucial para o relaxamento dos vasos musculares.

Um estudo publicado pela Revista Britânica de Urologia em 2004 sugere que quanto mais um homem fuma, maior é sua probabilidade de sofrer de disfunção erétil. Além disso, notou-se que uma proporção significativa de homens que pararam de fumar sentiram uma melhora nos problemas de disfunção erétil.

Combater o stress

Para os jovens em particular, episódios de stress e ansiedade podem ser um dos maiores responsáveis por problemas de ereção. Assim, um contexto profissional estressante ou problemas relativos à vida íntima são também fatores da disfunção erétil ou hipertensão arterial, ou ainda outros problemas de saúde.

Se seu stress é suficientemente importante para ocasionar problemas de ereção, certifique-se de consultar um médico. Você também pode discutir com seu empregador ou com uma pessoa do seu entorno. Pois além de provocar sintomas de impotência, o stress pode ser particularmente grave para a sua saúde.

Uma dieta equilibrada

Ter uma dieta desequilibrada é outro fator importante para os problemas de ereção. Deste modo, quanto maior for o seu consumo de gordura saturada, maior o risco de congestão arterial. No entanto, uma obstrução das artérias impede uma boa circulação sanguínea e, portanto, pode gerar distúrbios de ereção.

Estudos científicos permitem demonstrar que os sintomas da ereção são menos presentes em homens que seguem uma dieta do tipo “mediterrâneo”, que consiste em nozes, grãos integrais, peixes, frutas e legumes. Do contrário, uma dieta alimentar rica em carne vermelha processada e em cereais geneticamente modificados podem ser prejudiciais à saúde.  Por esta razão, se você sofre de problemas de ereção, certifique-se de analisar seus hábitos alimentares.

Praticar exercícios físicos

Ter um modo de vida sedentário favorece o aparecimento de problemas de disfunção erétil. De fato, não fazer esportes pode ocasionar problemas de saúde como hipertensão arterial ou problemas de circulação. Um estudo publicado pela Revista Etíope de Ciência em 2011 se baseou em muitos experimentos para determinar se o exercício cardiovascular melhora os sintomas da disfunção erétil..

De acordo com este estudo, se constata que o esporte, em particular atividades aeróbicas, têm um impacto positivo nos homens que sofrem de impotência ligada à uma baixa circulação sanguínea.

O objetivo não é passar horas na academia. Os médicos recomendam ainda fazer duas horas e meia de exercícios físicos cardiovasculares por semana. Além disso, além de melhorar os sintomas da impotência, praticar uma atividade física é simplesmente benéfico para sua saúde.

Evite o uso de drogas de uso recreativo

A lista de medicamentos que podem causar problemas de ereção é substancial. No momento em que é prescrito a você um tratamento médico, o médico irá informá-lo do risco de efeitos colaterais. Caso você sinta efeitos indesejáveis preocupantes ou caso os sintomas piorem, é essencial tomar medidas adequadas e consultar um médico logo que possível.

Consumir drogas não é aconselhável para sua saúde e as consequências podem ser dramáticas. Além disso, este tipo de droga aumenta o risco de disfunção erétil. Um estudo publicado em 2009 pela Revista de Medicina Sexual revela que o consumo de heroína, de metanfetamina e de MDMA acarretam em 40% dos casos, sintomas de disfunção erétil.

Se você sofre de problemas de ereção, falar com seu médico é a primeira etapa. Se você não deseja falar com seu médico, existem diferentes serviços especializados e discretos.

A maioria dos homens encontram em um momento de suas vidas problemas de ereção. Se estima que 23 milhões é o número de homens no mundo que usam algum tratamento para a disfunção erétil.

Algumas vezes, estes problemas não resultam de um problema de saúde não diagnosticado e desaparecerão após a mudança de alguns hábitos de vida.

No entanto, se os sintomas persistirem e agravarem-se, não hesite em consultar um médico para que ele possa ajudá-lo.

Existe um tratamento definitivo?

Problemas de ereção não são sintomas que desaparecem definitivamente. Até mesmo os tratamentos em forma de comprimido ou outros terão uma eficácia limitada com o tempo. Quanto mais seus hábitos de vida estiverem desequilibrados, mas seus problemas de ereção persistirão. Nesse sentido, pouco importa a causa da origem dos seus problemas de ereção, um dos primeiros passos de cura é a melhora de alguns hábitos de vida.

Página revista em: 15 Janeiro 2021 por Dr. Ricardo Hernández, Médico por 16 anos